Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
País

Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”

O Salão Nobre da Câmara Municipal de Amares recebeu, durante a passada sexta-feira, as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”. “Ler… para lá das palavras” foi o tema central do evento que teve parceria com a Rede das Bibliotecas Escolares (RBE) e o Centro de Formação do Alto Cávado (CFAC).

Educadores, professores de todos os níveis de ensino e profissionais ligados ao ramo bibliotecário foram os destinatários desta iniciativa, acolhida pelos municípios e bibliotecas de Amares, Vila Verde e Terras de Bouro.

Na sessão de abertura, o presidente do Município de Amares, Manuel Moreira, deu as boas vindas aos presentes e distinguiu as bibliotecas “como o local privilegiado para todos aqueles que amam as letras e onde se adquirem novos conhecimentos”.

Louvando a junção entre as letras e o conhecimento, o autarca referiu que “é preciso trabalhar cada vez mais pela cultura e que esse trabalho deve ser feito em rede”. “Estas jornadas são um bom exemplo disso”, concluiu.

A coordenadora interconcelhia da Rede de Bibliotecas Escolares, Fernanda Freitas, referindo-se aos resultados globais do exame de Português do 9º ano, inferiores ao do ano anterior, disse que “tem que se olhar para este resultados e fazer a diferença” e que ler é “essencial” em todas as disciplinas.

No primeiro painel da manhã, o professor da Universidade do Porto, Armando Malheiro da Silva, abordou o tema “As bibliotecas na era de informação”. “O tempo das bibliotecas mexe com o tempo de transição em que vivemos”, começou por mencionar, acrescentando que é importante avaliar o impacto das bibliotecas junto dos jovens num tempo cada vez mais difícil para elas – o da era da informação”.

O momento foi moderado pelo vereador da Cultura, Jorge Tinoco, que referiu que “as bibliotecas não são o lugar onde se guardam livros mas onde os livros nos aguardam e nos interpelam”. A frase sintetiza, de resto, a opinião partilhada por todos os oradores e participantes das jornadas.

Seguiu-se o painel “Desafios das Bibliotecas na era da informação” por Aida Gomes, Jorge Brandão e Diana Silva e, ainda, um momento musical protagonizado pelo Centro de Estudos Luís Capela.

À tarde, o professor Luís Amaral dinamizou a conferência “Singularidade Tecnológica e Nova Sociedade de Informação” e o escritor Alexandre Perafita e o ilustrador Pedro Seromenho deram vida ao painel “(Re)construir imaginários….para lá das palavras”.

Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”
Amares acolheu as “I Jornadas Interconcelhias de Bibliotecas”

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade