Sindicato e cidadãos comuns em protesto solidário à porta do Hotel Estação.
Sindicato e cidadãos comuns em protesto solidário à porta do Hotel Estação.
Braga

Protesto de solidariedade para com trabalhadora do Hotel Estação

“Assédio no trabalho não é admissível”, diz Francisco Figueiredo. delegado sindical da União de Sindicatos de Braga, que esta manhã de quinta-feira se manteve em protesto frente ao Hotel Estação onde diz “estar a decorrer ação de despedimento de uma trabalhadora apenas porque é delegada sindical”, frisa o sindicalista.

“Uma ação contra a gerência desta unidade hoteleira que mantinha a trabalhadora e dirigente sindical Daniela Pereira sem ocupação efetiva do seu posto e local de trabalho desde o dia 17 do corrente”, relata Francisco Figueiredo, que viu esta manhã a gerência “ceder”.

“Para tentar anular a ação sindical, a empresa autorizou-a a trabalhar mas o sindicato manteve o protesto até porque a empresa colocou uma trabalhadora a vigiar a Daniela Pereira”, destaca o sindicalista, que considera a atitude “ilegal” e que “atenta contra direitos fundamentais da trabalhadora”.

“Como é o direito a ocupar efetivamente o seu posto de trabalho e exercer as suas funções profissionais em condições dignas. Tal comportamento configura a prática de assédio no trabalho e visa apenas perturbar e constranger a trabalhadora, afetar a sua honra e dignidade, criar-lhe um ambiente hostil, degradante, humilhante e desestabilizador”. explica Francisco Figueiredo.

Segundo o sindicalista. a empresa do Hotel Estação terá iniciado um processo de extinção do posto de trabalho da trabalhadora. “Aliás, tal monstruosidade de processo visa apenas e só despedir uma trabalhadora, delegada e dirigente sindical, acérrima defensora dos direitos dos trabalhadores que, nessa qualidade, tem feito frente às práticas ilegais da empresa”. denunciam os sindicalistas.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade