Encontrarte 2015.
Encontrarte 2015.
Cultura

Arte e tradição deram vida a espaços devolutos em Amares

Dar a conhecer vários géneros de expressão artística elegendo espaços devolutos como habitat natural das mostras, transformando-os em galerias de arte, foi o mote da bienal de Artes Plásticas e Cinema de Animação Experimental, Encontrarte Amares, que termina hoje, 26 de julho, em Amares.

O Encontrarte Amares tem assumido, desta a sua génese, uma caraterística ímpar ao escolher espaços desocupados como cenário de divulgação artística, sempre com o intuito de promover e valorizar criadores nacionais e internacionais. A edição deste ano teve como ponto de partida a valorização do património material e imaterial de Amares – os espaços, as suas gentes, as tradições, usos e costumes, os artesãos e a gastronomia local.

Novos espaços foram palco dos projetos dos mais de 50 artistas que se juntaram aos artesãos locais, numa simbiose perfeita entre o tradição e a arte, para durante os quatro dias da mostra brindarem o público com os seus projetos artísticos.
O espaço urbano de Amares serviu de palco a esses projetos, concursos, exposições, instalações de vídeo, cinema, performances, música, oficinas, visitas guiadas, entre outras iniciativas, que se distribuíram, ainda, por alguns espaços imprevistos e inovadores, como foi o caso da Pedreira da Nossa Sr.ª da Paz e da Ilha de Figueiredo.
Organizada pelo Clube Desportivo Recreativo e Cultural Amarense/Encontrarte Amares, esta foi mais uma das grandes apostas culturais da Câmara Municipal de Amares que “vê neste tipo de atividades um importante meio de projeção do concelho e daquilo que nele é produzido, aliado ao saber e a arte dos artistas convidados”.

Para o presidente da Autarquia, Manuel Moreira, o Encontrarte “veio acordar o concelho, trazendo nova dinâmica à vila de Amares. Em jeito de balanço, o autarca mencionou que o evento superou as expetativas não só pelo número de visitantes que marcaram presença no encontro, mas também em termos de oferta e de programação cultural que primou pela diversidade e qualidade oferecida”.

Da parte da organização, o balanço da edição do Encontrarte Amares 2015 também é muito positivo.

“Superou as expetativas quer pela qualidade de artistas presentes, quer pela adesão do público. Pretendemos, essencialmente, valorizar Amares, o seu território as suas gentes e a sua cultura, e esse objetivo foi alcançado”, referiu Martinho Antunes, da direção do Encontrarte Amares, indicando o espetáculo de abertura como um dos momentos marcantes do evento.
“O espetáculo decorreu num espaço magnífico da pedreira de Nossa Sra. da Paz onde se foram trazendo muitas memórias à população, o que fez daquele um ponto alto desta edição”, disse Martinho

Durante quatro dias mais de 50 artistas e cerca de 140 participantes proporcionaram experiências únicas em diferentes palcos que dinamizaram os recantos do concelho de Amares, desde o rio até à serra, a todos os que se deixaram encontrar com a arte e a tradição.
Das inúmeras obras em exposições duas áreas fundamentais abrangeram os concursos: cinema de animação experimental e desenho. No concurso internacional de cinema de animação experimental Sisters, de Lea Vidakovic, foi o vencedor desta 4ª edição.
O júri do concurso, constituído por Marina Estela Graca, Icaro, e Davide Freitas, distinguiu o filme pela qualidade plástica e pela implicação ativa do espetador. Já no concurso internacional de desenho o júri constituído por Pedro Maia, Carlos Corais e Eugénio Henrique atribuiu por unanimidade o primeiro prémio ao trabalho: Pascal Ferreira – S/ Título.

Pedro Cabrita Reis foi o artista convidado em 2015 e deu a conhecer o seu trabalho na Casa da Botica.

 

DSC05257 DSC05251 DSC05223

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade