jose-manuel-fernandes
José Manuel Fernandes Opinião

Opinião de José Manuel Fernandes: “A força dos nossos Lenços”

Quando “cheguei” à Câmara Municipal, no início de 1998, Vila Verde tinha uma imagem nacional marcada pelo conflito com a comunidade cigana e manifestações em resultado da decisão de construção de um aterro sanitário na zona de Atiães/Oleiros. Hoje, somos conhecidos pela terra dos Lenços de Namorados, a terra do amor.

Os Lenços de Namorados de Vila Verde mudaram e melhoraram a nossa imagem, criaram emprego, reforçaram as nossas raízes e o nosso amor à Terra. A aposta na valorização dos lenços foi estratégica e resultou em pleno. Os lenços têm a força da simplicidade, do genuíno. No início, os críticos do costume afirmavam que éramos uns parolos! Pois bem, transformamos o que achavam “parolo”em algo “chic” e apreciado. Os Lenços de Namorados de Vila Verde são um motivo inesgotável de inovação.

A Câmara de Vila Verde tem uma programação fortíssima neste mês de Fevereiro, Mês do Romance, que se estende ao longo de 38 dias e está estruturada em cinco semanas temáticas: Tradição, Romance, Amor, Saudade, Aventura. O Centro de Dinamização Artesanal- Aliança Artesanal e o Espaço Namorar Portugal são o epicentro da programação e espaços de visita obrigatória.

A marca “Namorar Portugal”, o número de empresas e empregos provam o sucesso da aposta que fizemos. Não tínhamos melhor forma de homenagear as mulheres que fizeram todo o trabalho de base e recolha que permitiu este sucesso. Privei com todas elas. Recordo com saudade a cumplicidade estabelecida e as palavras de encorajamento recebidas. Por “dor de cotovelo”, razões políticas e até económicas há quem queira reescrever factos e trair todo o trabalho de recolha efectuado! É verdade! Há quem afirme que os Lenços de Namorados não são de Vila Verde!

É evidente que há lenços noutras zonas de Portugal! Mas também é claro, certíssimo, que os de Vila Verde são únicos e têm um padrão que os identifica e circunscreve ao nosso território. Nunca permitiremos que ninguém se aproprie do que é nosso. Vamos continuar a honrar o trabalho e a memória de todas as mulheres e de todos aqueles que valorizaram esta tradição. Por muito que tentem, ninguém conseguirá parar a força dos nossos lenços e das suas escritas de amor!

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade