moreiraamares
Amares Destaque

Amares. PS questiona “transparência” de ajustes diretos de Manuel Moreira

O PS de Amares questionou hoje a “transparência” de dois ajustes diretos feitos pela Câmara local para fornecimento de serviços de consultoria e admitiu que poderá fazer chegar o assunto ao Ministério Público.

Na resposta, o presidente da Câmara, Manuel Moreira, eleito pelo PS mas entretanto já anunciado como candidato pela coligação PSD/CDS nas próximas autárquicas, manifestou-se “perfeitamente tranquilo”, sublinhando que “o que realmente preocupa os socialistas é o facto de as obras estarem a avançar”.

Em causa estão dois ajustes diretos feitos em janeiro pelo município para fornecimento de serviços de consultoria para a Praça do Comércio, no valor de 68 mil euros, e para o parque da Feira Semanal, por 45.500 euros.

Em comunicado, o PS classifica de “deveras estranho” que aqueles ajustes tenham sido feitos com duas empresas “representadas pela mesma pessoa”, numa delas na qualidade de presidente do Conselho de Administração e na outra na qualidade de gerente”.

“Esperamos que estes contratos não representem o desdobramento de serviços para contornar as regras da contratação pública”, acrescenta.

Para o PS, “não se compreende o gasto de 113.500 euros em consultoria e projetos, bem como o critério de escolha, já que existem em Amares empresas habilitadas para este tipo de serviços, com um conhecimento do território mais abrangente”.

Os socialistas acusam Manuel Moreira de não prestar informações ao executivo acerca daqueles contratos, “sendo evasivo sempre que questionado”.

Por isso, o PS refere que levará o assunto “às instâncias que forem necessárias” para esclarecimento público.

“Não queremos que fiquem nuvens no ar. Vamos pedir novamente esclarecimentos à Câmara, mas se for preciso fazemos chegar o assunto ao Ministério Público”, disse o presidente da Concelhia do PS, Jorge Tinoco.

O presidente da Câmara disse que “o que verdadeiramente preocupa” o PS é o facto de verem as obras a avançar. “Até aqui, criticavam-nos por não fazermos obra. Agora, que temos em curso os procedimentos para duas obras avaliadas em quase 3 milhões de euros, aqui d’el rei que não há transparência”, criticou Manuel Moreira.

Quanto à escolha das empresas para os ajustes diretos, Manuel Moreira disse que essa é uma decisão do seu executivo, “no uso das suas competências”.

“Estou perfeitamente tranquilo e, para desgosto do PS, as obras vão avançar”, rematou. Nas Autárquicas de 2013, o PS, com uma lista encabeçada por Manuel Moreira, ganhou as eleições para a Câmara de Amares, mas sem maioria absoluta.

O PS elegeu três vereadores, um movimento independente elegeu dois e a coligação PSD/CDS outros dois. Em outubro de 2015, Manuel Moreira exonerou de funções o seu vice-presidente, Jorge Tinoco, por alegada falta de confiança política.

Para o seu lugar, escolheu Isidro Araújo, que tinha sido o cabeça de lista da coligação PSD/CDS. Entretanto, Manuel Moreira já foi anunciado como candidato da coligação PSD-CDS nas próximas autárquicas.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade