Barreto
Destaque Vila Verde

Regadio. Deputado do PS diz que “processo” estava em análise e que José Morais desbloqueou-o

Joaquim Barreto, líder da Federação Distrital do Partido Socialista (PS), “nega” as acusações de Fernando Xavier a José Morais sobre “proveito político” na questão do avanço do regadio de Cabanelas.

Em declarações ao Semanário V, o também deputado da Assembleia da República veio refutar o comunicado da Junta de Agricultores do Regadio de Cabanelas, dizendo que o “processo do regadio encontrava-se pendente e em análise, e que graças aos esforços de José Morais, o projeto ficou desbloqueado”.

“José Morais, e a partir do momento em que eu fui eleito deputado pelo círculo de Braga, tem solicitado de forma permanente e insistente para que eu faça diligências junto do governo para que esta candidatura fosse aprovada”, revelou Joaquim Barreto, indicando que “o processo esteve sempre pendente e só conheceu avanços depois de diligências efetuadas junto do governo”.

Questionado pelo V sobre os atrasos na aprovação da candidatura, Joaquim Barreto diz que “esta candidatura estava parada como tantas outras do PDR 2020 que estão pendentes para análise, mas que, após insistentemente terem sido tomadas diligências para que avançasse, este governo desbloqueou a matéria”.

Já no que toca às acusações da Junta de Agricultores do Regadio de Cabanelas, Joaquim Barreto diz que a junta “devia-se congratular com a aprovação e com o trabalho que o vereador José Morais tem feito para informar e motivar o governo, porque a candidatura estava em análise mas é a mesma coisa que estar parada”, disse Barreto, acrescentando que “o vereador tem sido um homem empenhado e intercedeu junto de um deputado eleito pelo distrito de Braga, e junto do Ministério da Agricultura, para chegarmos a este ponto”.

(Notícia completa na edição impressa do Semanário V, a 8 de março)

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade