CARREIRAS 2
Vila Verde

Autárquicas. “Agricultura continuará a ser um sector estratégico para Vila Verde”, afirma Vilela

O candidato à Câmara de Vila Verde pelo PSD, António Vilela, anunciou o a “agricultura vai continuar a ser sector estratégico para o concelho”.

No âmbito de mais uma auscultação dos anseios locais, nomeadamente na freguesia da Loureira, António Vilela apontou que será instalada na futura Adega Cultural, “um Mercado de Produtos Locais” para venda direta dos pequenos produtores ao consumidor final, ao mesmo tempo que aponta a necessidade de “união” em torno dos produtores locais.

“É preciso ganhar dimensão, através de associações locais de produtores, para promover e permitir um escoamento de produtos agrícolas para consumo interno, particulares e sectores como a restauração, e para fora das portas do concelho”, disse o candidato social democrata.

Segundo António Vilela, e em jeito de balanço, Vila Verde tem registado um forte desenvolvimento de projetos agrícolas, sobretudo por jovens agricultores, e tem assistido à modernização e profissionalização das atividades tradicionais, dos pequenos produtores locais.

“As isenções de taxas e licenças municipais para unidades de produção ligadas à agro-indústria e agro-pecuária, constituem um importante incentivo à atração e instalação de novas unidades agrícolas. Estas são medidas municipais que têm permitido aos nossos jovens e restantes produtores terem um impulso decisivo para avançar e para modernizar espaços agrícolas, com muito sucesso”, referiu o candidato, apontado mesmo que o aproveitamento estratégico de fundos comunitários “tem permitido o ressurgimento de grandes áreas de exploração agrícola, muitas delas ligadas à produção de pequenos frutos e à agro-pecuária”.

“Aliás, o concelho de Vila Verde é aquele que viu mais projectos aprovados a nível nacional”, vincou António Vilela, que adiantou três âncoras que contribuem para a agricultura ser um “sector estratégico” para o concelho: eventos ligados ao sector, mercado e associações de produtores e regadio de Soutelo/Prado/Cabanelas.

O candidato aponta eventos ligados ao sector – como Rota das Colheitas, Feira Nacional dos Mirtilos, Festa do Vinho de Vade, Feira dos Vintes – como estratégicos para a promoção, assim como unidades de transformação de produtos – queijo e carne – e a criação de associações de produtores como “importante passo para ajudar ao escoamento da produção agrícola feita pelos pequenos produtores e lavradores do concelho”.

“O município apoiará sempre a criação de associação de produtores ligados a determinada fileira de produtos, do mel, feijão, castanha, aves, hortícolas, frutícolas, entre outros. Já temos algumas associações e cooperativas de agricultores, ligados, sobretudo, aos pequenos frutos, mas podemos e devemos alargar a outras fileiras”, apontou.

Regadio
Na zona sul do concelho, o candidato assinala, mais uma vez, “a importância estratégica” que vão as obras de requalificação do regadio Soutelo / Prado / Cabanelas, que abrange uma área agrícola de cerca de 327 hectares. A candidatura está aprovada e comporta um investimento na ordem dos sete milhões de euros, projeto que será explorado, segundo António Vilela, pela Junta de Regantes.

(Notícia completa na edição impressa do V, 24 de maio)

 

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade