Gracinda Pimentel
Destaque Vila Verde

Vila Verde. Pastelaria sem acessos para mobilidade reduzida irrita cliente

A conhecida pastelaria “Vilaverdense” vai avançar com um processo por difamação contra uma mulher que se queixou de discriminação por parte daquele estabelecimento, através das redes sociais.

A ação surge depois de Gracinda Pimentel, deficiente motora vila-verdense com 52 anos que se desloca em cadeira-de-rodas, publicar na rede social “Facebook” que foi vitima de “discriminação” por parte da pastelaria. Ao V, Gracinda Pimentel acrescenta que perguntou “pelos acessos para entrar”, queixando-se que não existem.

Contactado pelo V, António Nogueira, gerente da pastelaria, confirma que há uma “dificuldade” no acesso a pessoas com mobilidade reduzida, mas diz que “nunca ninguém ficou lá fora”. “Aliás, ela já tinha entrado cá dentro várias vezes”, indicou o gerente, avançando que “a pastelaria vai avançar com um processo por difamação”.

Mas Gracinda Pimentel diz que “já serviram várias vezes raspadinhas na esplanada” e que as vezes que entrou na pastelaria foi em cadeira manual. “Agora tenho uma elétrica e não dá para subir o degrau”, indica . “Estou farta de sofrer discriminação em Vila Verde e ter de me calar”, finalizou Gracinda Pimentel.

(Notícia completa na edição impressa n,º 72 do Semanário V, já nas bancas)

 

 

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade