Facebook
Facebook
Destaque Vila Verde

Facebook. Alegado “perfil falso” de funcionário da Câmara de Vila Verde acaba em tribunal

Manuela Dias, habitante de Aboim da Nóbrega, vai avançar com um processo judicial contra Carlos Tiago Alves (CT), adjunto da presidência no Município de Vila Verde (CMVV), avançou a aboinobrense ao V.

O que move a queixa é uma alegada divulgação de dados através de uma conta de Facebook, a qual Manuela Dias acusa de ser “um perfil falso”, e que, segundo a própria, pertence a CT.

Ao V, Manuela Dias indica que “houve um problema em relação a uma construção privada junto à habitação” da mãe, em Aboim da Nóbrega, e falou com CT sobre a situação.

Mais tarde, o teor dessa mesma conversa terá sido abordada nas redes sociais, através de um perfil de utilizador, vincando Manuela Dias que “a única pessoa que sabia o conteúdo da conversa” era o adjunto da presidência e que “o perfil que escreveu o conteúdo só pode pertencer a CT”.

O assunto está relacionado com a instalação de um canil privado na casa de um vizinho, alegadamente sem licença, e pelo recurso a explosão com dinamite sem aviso prévio.

No grupo de Facebook “Vila Verde em Notícia”, é já longa a polémica de acusações sobre alegados “perfis falsos” que lançam acusações a algumas figuras públicas de Vila Verde, como António Vilela, José Morais ou Paulo Renato. Mas esta é a primeira vez que alguém vem a público lançar uma acusação direta sobre quem estará por detrás desses mesmos alegados perfis “sem rosto”.

O V entrou em contacto com o visado, CT. adjunto da presidência da CMVV, que a este jornal afirmou estar “de consciência completamente tranquila” e “totalmente disponível para esclarecer as entidades competentes”.

“Quem me conhece sabe que sempre pautei a minha intervenção pública com honestidade, lisura, responsabilidade, frontalidade e competência, nunca me tendo escondido ou escudado em perfis falsos, ao contrário do que falsamente alegam”, afirma CT.

“Na verdade, a referida senhora enviou para o email institucional do Gabinete da Presidência da Câmara a demonstrar o seu descontentamento em relação a uns vizinhos, cuja queixa foi devidamente reencaminhada para a Divisão de Fiscalização, tendo a mesma ulteriormente seguido os seus trâmites normais”, refere CT.

O adjunto da presidência estranha o facto de só passado dois meses a munícipe venha a público levantar queixas. “Passados mais de dois meses da munícipe ter apresentado queixa pública nos serviços do Município contra a vizinha e de diversos trâmites legais terem já decorrido normalmente, de entre os quais, a outra parte ter sido confrontada pelos fiscais do Município de Vila Verde e como a própria afirma, ter tido como aconselhamento jurídico o mesmo advogado, só posso considerar este lamentável episódio como uma tentativa desmesurada de alguém para denegrir politicamente a minha imagem”, sublinha.

Questionado sobre eventuais revelações de conversas, CT diz que “nunca” o fez. “Totalmente falso o que é alegado sobre a minha pessoa e nem sou detentor ou utilizador de qualquer perfil falso. As acusações que a cidadã Manuela Dias profere sobre a minha pessoa são infundadas, gravíssimas, difamatórias e que ela terá de as provar em sede própria”, frisa CT, que vê este caso como uma espécie de “ruído eleitoral provocado por pequena faixa da sociedade”.

“São peritos em criar ruído, espalhar ódios, com o intuito de tentar beneficiar terceiros, mas a esses responderei sempre com o trabalho, seriedade, honestidade, competência e frontalidade que me caracterizam. Por isso, não irei entrar em polémicas falsas ou vãs, motivo pelo qual, já entreguei o assunto ao meu advogado que irá avançar com uma participação crime e um pedido de indemnização civil contra a mencionada senhora”, afirma CT, revelando ainda que vai avançar queixa contra “pessoas associadas à divulgação dessa mesma difamação, nomeadamente os administradores da página Vila Verde em Notícia, José Morais e Augusto Faria”, vaticina.

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade