alvaro-rocha-bw-smyk
Álvaro Rocha Opinião

Opinião de Álvaro Rocha. “As potencialidades turísticas do território mais a Norte”

As potencialidades turísticas do território mais a Norte do Concelho de Vila Verde são, por muito que a atual Câmara Municipal as queira omitir e esconder, absolutamente visíveis e reconhecidas por forasteiros e especialistas da indústria do turismo.

Um estudo recente da empresa Trivago, especializada em estudos sobre turismo, indicava que dos dez destinos a serem mais procurados pelos portugueses nos próximos tempos, oito são dedicados ao turismo rural e de natureza, aparecendo o Concelho de Vila de Verde em sexto lugar dessa procura.

No caso de Vila Verde, a Trivago apresentava como foto principal ilustrativa cinco pedestrianistas a atravessarem o Rio Vade, em Aboim da Nóbrega. E as famosas revistas Evasões e Visão, em duas peças jornalísticas dedicadas ao estudo da Trivago, ilustravam-nas somente com fotos de Aboim da Nóbrega e Valdreu. No primeiro caso uma foto do Trilho da Nóbrega, tirada na Encosta do Monte do Castelo de Aboim, e no segundo caso uma foto do Santuário de Mixões da Serra e da sua envolvente.

Por muito que os especialistas mostrem as potencialidades turísticas do território mais a Norte do Concelho de Vila Verde, a atual Câmara Municipal continua a assobiar para o lado, desprezando persistentemente um dos territórios que mais pode contribuir para a riqueza do nosso concelho.
Naturalmente que não acontece ingenuamente. Acontece porque as freguesias de Valdreu e Aboim da Nóbrega e Gondomar possuem baixa densidade populacional e, consequentemente, não proporcionam muitos votos. Com efeito, aqueles que estão na política de Vila Verde para se servirem e não para servirem o concelho e as suas pessoas, envidam todos os esforços para que o território mais a Norte seja omitido e caia no esquecimento.

Como é possível a Câmara Municipal de Vila Verde ignorar o Parque de Campismo de Aboim da Nóbrega, não o divulgando nem o promovendo, nem sequer no sítio Web do Município, onde não existe referência nem uma ligação para o sítio Web do Parque de Campismo?

Como é possível a Câmara Municipal de Vila Verde ignorar o maior Fojo do Lobo da Península Ibérica, situado em Gondomar, com dois fossos e cerca de 2Km de muralha?

Como é possível a Câmara Municipal de Vila Verde ignorar o Rio Vade e toda a envolvente, incluindo, entre outros, as suas Cascatas, os seus Moinhos e a sua Praia Fluvial?

Como é possível a Câmara Municipal de Vila Verde ignorar os aglomerados rurais da Nogueira, em Gondomar, e da Pequenina, em Aboim da Nóbrega, este último, segundo especialistas, o mais genuíno aglomerado rural do Minho?

Como é possível a Câmara Municipal de Vila Verde ignorar o Castelo de Aboim, incluindo a divisão territorial com o Concelho de Ponte da Barca, que mudou silenciosamente os marcos de divisão administrativa dos dois concelhos, violando o estipulado oficialmente há vários séculos, visível, por exemplo, em cartas militares?

Tenho muitos outros exemplos para dar, mas penso que estes são suficientemente ilustrativos da situação de esquecimento propositado a que foi votado o território mais a Norte pela atual Câmara Municipal de Vila verde.

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade