mara-alves-bw
Mara Alves Opinião Vila Verde

Opinião de Mara Alves: “O silêncio e a conivência do mundo”

A situação na Venezuela vai assumindo a cada dia tons dramáticos. Assistimos a imagens e reportagens de uma Venezuela destruída. Nas ruas de Caracas, os protestos andam de mão dada com a pobreza, os supermercados estão com prateleiras vazias e a fila do racionamento só alimenta o mercado negro. Neste momento centenas de pessoas reviram o lixo à procura de restos de alimentos. A miséria é mais que muita, mas a Venezuela continua a esgotar as suas poucas reservas para o pagamento da dívida externa.

A crise económica e o desemprego afundam o país na miséria. A inflação de 2016, de 475%, deve atingir 1660% este ano, segundo estimativa do Fundo Monetário Internacional (FMI). Enquanto os gigantes financeiros especulam com o destino da Venezuela, Nicolás Maduro tenta resistir. O chavismo que movimentou a esperança de multidões de ex-pobres morreu, deixando como princípio uma retórica nacionalista e uma veia caudilhista que já se sentia em Chávez e pulsa forte em Maduro.

Mas a situação apresenta ainda um efeito contrário ao esperado, que acaba por ajudar Maduro. Em vez da esperada revolta contra o regime que dissemina a fome, esta fome absorve tanto a atenção da população afectada que inibe sua participação em protestos. “Quem tem como prioridade encontrar comida para a família não morrer de fome, não tem tempo de ir até a Assembleia Nacional protestar contra o governo”.

O regime move-se assim contra todos os instrumentos democráticos constitucionais, incluindo o referendo revogatório, que permitiria ao povo expulsar o presidente a meio do mandato. A situação política e social fugiu inteiramente do controlo e, hoje, a perspectiva mais concreta para o país parece, infelizmente, ser a de um conflito aberto, de uma guerra civil.

Quando um governo é incapaz de governar e a oposição incapaz de destituir, a saída mais estável passaria por negociar e tentar reunificar o país. Mas é o mais improvável dos cenários.

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade