PS
Amares Destaque

Amares. “Coligação PSD/CDS mente quando diz que baixou o desemprego”

A Comissão Política do Partido Socialista (PS) de Amares, e em nota de imprensa, diz que “não pode deixar passar em claro uma política de falsas informações que vão sendo veiculadas pelo Gabinete de Comunicação do Município, que mais não são do que ações de campanha política autárquica, ilegalmente instrumentalizada pela Coligação PSD/CDS”.

Segundo nota de imprensa, o PS diz que “a mais recente manipulação pública adveio de um comunicado em que mais uma vez o Presidente da Câmara vem fazer aquilo que melhor sabe fazer: utilizar ilegalmente os meios do Município, onde, como se tornou frequente, manipula informação para tirar proveitos de imagem política enquanto candidato”.

No referido comunicado a propósito da baixa de desemprego, difundido em nota de imprensa e na página CM Amares – Comunicação é dito que “…esta diminuição é o resultado, entre outros fatores conjunturais, das medidas que têm vindo a ser tomadas e consolidadas no concelho, nomeadamente através de novas dinâmicas criadas pelo Gabinete de Empreendedorismo do Município de Amares…” adiantando mais à frente que face a período homólogo o concelho de Amares tem menos 481 desempregados, dando palavra mais uma vez ao candidato da coligação, enquanto eleito quando este refere no seu jeito usurpador costumeiro “…esta descida de quase 40% é muito significativa e revela que estamos no bom caminho e, nesse sentido, vamos manter esta política de apoio constante ao setor empresarial e desempregados donosso concelho…”.

O mesmo comunicado do município diz que “…o Gabinete de Empreendedorismo do Município de Amares já impulsionou a constituição de 36 novas empresas e apoiou 31 na realização de estágio profissional…” , situação que o PS de Amares questionar, dizem que “sem referir em que período o fez”.

“Há dados que o Sr. Presidente da Câmara omite propositadamente. Porque não revela, por exemplo, quantos empregos foram criados em 2016? E será que estágios profissionais resultam ou resultaram em empregos? Que medidas concretas o Município tomou para promover emprego? Quantas pessoas emigraram neste período? A algumas destas perguntas o mesmo relatório do IEFP dá algumas respostas. Neste relatório é referido, noutro quadro, que este ano as colocações em Amares ao nível de emprego ficam pelas 37 – curiosamente ao contrário das 51 no mesmo período do ano passado – números que ficam muito aquém da tal baixa de 481 desempregados. Citando o relatório do Índice de Transparência Municipal, com dados oficiais de Dezembro de 2016, a taxa de desemprego situava-se nos 12,1%, pelo que infelizmente estas 37 colocações em 2017 não contribuíram para uma assinalada descida da taxa. É inequívoco”, afirma o PS em comunicado.

Os socialistas dizem ainda que “Por outro lado, há outros dados que são do conhecimento público e um deles vem ao encontro de medidas estruturais – e não conjunturais – tomadas pelo Governo PS que provocaram, essas sim, uma acentuada queda das taxas de desemprego em Portugal, que recentemente caíram abaixo dos 10%”.

“Na verdade, apesar dessa feliz descida também na região (entre os 20% e os 40% nos vários concelhos vizinhos), esta tendência não evitou que Amares tenha atualmente uma taxa de desemprego acima da média nacional e uma das mais altas da região. Obviamente que notícias destas, devidamente enquadradas e seriamente analisadas, não podem ser motivo para festins de propaganda que constituem um atentado à verdade e uma ofensa a quantos ainda vivem com angústia no nosso Concelho o drama do desemprego”, concluí o comunicado.

Print Friendly

Comentários

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade