Vítor Araújo (Dirigente Associativo)
Vítor Araújo (Dirigente Associativo)
Opinião Vítor Araújo

Opinião de Vítor Araújo: “Autárquicas Amares!”

Dia 1 de Outubro temos eleições autárquicas. Quem tivesse passado por Amares ao longo destes últimos três anos nunca teria visto uma única obra. Este ano, milagrosamente, vá-se lá saber por quê, é o que não falta. Alargamentos de estradas e levantamentos de muros é a bandeira de campanha do atual executivo, como é fácil ver.

Foi pedido um empréstimo pelo atual executivo liderado por Manuel Moreira. Um milhão de euros para ser distribuído com o único critério de angariar votos. Enfim, um negócio à custa do povo que é quem tudo paga. Espero que esse dinheiro não esteja a ser só canalizado para alargamento de estrada e levantamento de muros. Mas ao longo destes dias tenho ouvido muita gente perguntar-se “de onde veio o dinheiro?”.

Recuemos, precisamente, 4 anos atrás, quando Manuel Moreira ganha as eleições pelo Partido Socialista, no dia 29 de setembro. Chegado ao palanque, não hesitou em dizer que encontrou a autarquia “num caos” e “sem disponibilidade financeira” para assumir pagamentos. Passados uns tempos, criou um gabinete de apoio à Presidência.

Numa reunião de executivo, um dos vereadores alertou que aquele gabinete gastaria cerca de 10 mil euros por mês, ou seja 120 mil euros por ano e, no mandato, meio milhão de euros. Depois, após várias trapalhadas políticas, optou por mudar, incompreensivelmente, o seu vice-presidente, dando ao novo protagonista assessores que, antes, não faziam falta. E, no meu modo de ver, não faziam mesmo, porque a pessoa que lá estava, eleita pelo povo, era competente.

E, assim sendo, as pessoas ficaram chocadas com um Presidente que dizia que não havia dinheiro e, no ano das eleições, pede, apressadamente, um empréstimo um milhão de euros para fazer obras. A isto eu chamo tentar tapar os olhos das pessoas, optando por fazer o acessório e deixando para trás as obras essenciais e prioritárias em Amares.

Mas, para piorar a credibilidade do Sr. Presidente, no dia 16 de junho, realizou-se uma Assembleia Municipal, onde o Sr. Presidente Manuel Moreira candidato pelo PSD/CDS, teve uma intervenção, a meu ver muito infeliz, quando se dirigiu à minha pessoa de uma forma agressiva e usando uma linguagem imprópria de quem exerce um cargo de alta responsabilidade como o dele. Passo a citar a frase.

“Oh Vítor, estás-te a rir? Estás-te a rir? Queres vir para aqui?”. Na altura, apetecia-me responder ao Presidente e dizer-lhe que se fosse para acabar com a incompetência e a falta de respeito, então, aí sim, aceitava o convite, mas penso que devemos manter um limiar de delicadeza e de educação. Depois, estas atitudes são vergonhosas e só ficam mal a quem as pratica e, infelizmente, ainda nos representa. Mas eu não fico surpreendido com estas atitudes do Presidente. É que, quando na sua tomada de posse, para se mostrar valente e determinado, disse, no seu discurso, gostar de pegar o touro pelos cornos.

Parece-me que nem de cernelha o consegue fazer. Nisso e noutras medidas o criticaram os que, agora, o apoiam sequiosos, como ele, do poder. Numa entrevista que deu, disse, também, que sempre gostou de confusões e que isso fazia parte da sua vida. Numa outra ocasião, afirmava que a um árbitro de um jogo em que ele dava uns chutos na bola, agora aprendeu a dá-los nas pessoas que mais fizeram por ele, ao tentar abrir a porta de um balneário, o agarrara e dera-lhe um pontapé. O árbitro esteve muito mal no hospital. Por isso, já nada me surpreendem as falas, na dita assembleia municipal, vindas do presidente.

É pena que o presidente não se aperceba que estes ditos e comportamentos só desprestigiam o concelho. Francamente, penso que deveríamos pensar, seriamente, se pretendemos, ou não continuar com o que se vê e com o que nunca se viu, como acontece no atual executivo camarário. Deus e o tempo!

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade