Braga para Todos
Braga Destaque Região

Braga. Movimento ativista “Braga para Todos” luta pela causa animal

O movimento cívico “Braga para Todos”, criado há cerca de três semanas e constituído por 20 pessoas de diferentes áreas profissionais e ativistas da causa animal, reuniu esta semana com o candidato da coligação da CDU Carlos Almeida, com Bárbara Barros deputada municipal e com Carla Cruz deputada na Assembleia da República para discutir as políticas de proteção animal para o município de Braga.

Em comunicado enviado à imprensa, o movimento adianta que a reunião “foi positiva” e que houve uma sinergia entre as duas forças, com “ambas as partes cientes que a solução passa pelo controle da população no caso dos gatos e cães através do programa CED- captura- esterilização- devolução e pela responsabilização do município através de uma verba”.

Esta reunião surgiu após o movimento ter criado uma petição, há uma semana, que conta com mais de 3500 assinaturas, onde o grupo de cidadãos lançou um convite via email aos partidos candidatos às autárquicas para conhecer o programa das políticas referentes à proteção animal.

“É de todo importante para nós ouvir uma palavra de compromisso dos partidos, os animais de rua são uma responsabilidade da autarquia, todos os partidos foram convidados, alguns já agendaram reunião, outros ainda não obtivemos resposta, mas o silêncio é uma resposta e na nossa perspetiva uma forma de fazer política”

Segundo o movimento, o candidato da CDU, Carlos Almeida, contém na sua proposta eleitoral várias “medidas para a problemática dos animais de rua em Braga”.  O vereador diz que já as apresentou em assembleia municipal mas não obtiveram aprovação.

Segundo Carlos Almeida, a CDU assume o compromisso de “continuar a defender a causa animal e implementar medidas tanto a nível municipal como também a nível das 37 freguesias onde o partido irá concorrer”.

O movimento ativista pelos animais elogia ainda a CDU em comunicado, dando-lhe o estatuto de defensor dos animais e partido que desenhou o projeto-lei para o término do abate em canis municipais por motivo de sobrelotação”.

“Quem tem esta atuação a nível nacional tem a nível local onde a intervenção nesta problemática apresenta grandes resistências, neste parâmetro surge o nosso apelo ao voto consciente e a importância de votar e ler as propostas dos partidos, porque nós precisamos que eles nos representem e eles precisam que nós os elejamos”, lê-se ainda.

Foram ainda abordados temas como a matilha do Picoto, que segundo o movimento é “um problema que se arrasta há anos a par dos milhares de gatos de rua que deambulam pela cidade à noite”.  A solicitação da verba de 20 mil euros para a campanha CED a cargo da autarquia por um período de 4 anos com avaliação após cada ano.
O movimento sugere ainda o “visionamento da câmara ou das associações  e a criação de mecanismos de ação em caso de emergência a funcionar 24 horas por dia e sete dias por semana para animais acidentados e com custos, em caso de não terem dono suportados pela câmara”.

O movimento alerta ainda para que “se o sinistro acontecer num fim de semana a AGERE, responsável pela gestão do CROA está fechada e as associações não têm logística nem verba para tal e por norma ignoram o pedido ou dizem que não têm pessoas para irem ao local é urgente tirar ónus dos voluntários e ter uma equipa com formação no terreno”.

O movimento diz ainda que era preferivel aplicar o investimento dos parques caninos em campanhas de esterilização.

” Ninguém se opõe aos parques caninos, se houver verba, mas este investimento esterilizava vários animais de rua”.

Recentemente, a coligação Juntos por Braga tornou público a compra dos terrenos nas medições da quinta pedagógica para aumentar a mesma, na opinião do movimento “é mais uma obra sem caráter urgente , que em nada resolve os problemas reais da cidade a nível de animais de rua”.

“Não somos um partido nem um movimento camuflado da direita ou da esquerda, apenas queremos respostas, soluções, compromisso e seriedade, porque é isso que os bracarenses pedem e a prova são as assinaturas na nossa petição, as diversas páginas de apoio a causas animais de Braga e os ativistas que diariamente alimentam e esterilizam usando recursos próprios, são esses anónimos que fazem a diferença e que estão a fazer o trabalho que é da Câmara de Braga”, finaliza o comunicado do movimento.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade