Ricardo Rio
Ricardo Rio
Braga Destaque Região

Braga. Ricardo Rio é um dos envolvidos nas viagens pagas a Seattle pela Microsoft

O presidente da Câmara de Braga, Ricardo Rio, está envolvido no caso das estadias pagas em Seattle pela Microsoft, sendo um dos quatro autarcas envolvidos no programa que os levou até Seattle para um hotel de 4 estrelas, incluindo um tour por Seattle, uma visita ao maior museu aeronáutico do mundo e um período do dia para compras num dos outlets da cidade, tudo suportado pela Microsoft. Apenas as deslocações foram pagas pelas próprias autarquias.

As viagens foram no período entre 18 e 21 de janeiro de 2014, avança o jornal online “Observador”, depois de exposto o caso pelo jornal “I”, e incluíram os presidentes de Câmara eleitos pelo PSD, Ricardo Rio e Paulo Cunha (autarca de Famalicão) e ainda o autarca socialista João Neves (Figueira da Foz) e o vice-presidente da autarquia de Sintra, Rui Pereira, também do PS.

Segundo avança o “Observador”, depois destas viagens, as autarquias de Braga, Sintra e Famalicão fizeram mais de meio milhão de euros através de ajuste direto em licenças de software da Microsoft, através de empresas terceiras.

Segundo a Microsoft, estas viagens são convites feitos no âmbito de “valorizar a participação dos seus principais clientes empresariais”, mas a empresa norte-americana deixou a ressalve de que, ao pagar estas despesas, se não estará a incorrer em qualquer infração de regras éticas ou diretivas a ofertas a oficiais de governo ou equivalentes.

A empresa, ao pagar a “hospitalidade” em solo norte-americano, deixa à responsabilidade dos convidados que se comprometam pela inexistência de qualquer impedimento ético.

A autarquia bracarense já veio a público responder a questões relacionadas com este caso, explicando que, para além de Ricardo Rio, também o presidente da InvestBraga, Carlos Oliveira, participou nesta viagem.

“A deslocação surgiu por convite da Microsoft para apresentação da solução CityNext, no âmbito da promoção de cidades inteligentes, e foi previamente aproveitada pelo Município de Braga para o agendamento de contactos com os responsáveis da Microsoft Ventures, que deram origem à celebração da parceria que esteve na base da Startup Braga”, indicou o município.

Segundo a autarquia, “a comparticipação dos custos da estadia, assumida pela Microsoft, em nada coloca em causa a lisura de procedimentos das duas entidades e a conduta ética dos seus responsáveis” e que a InvestBraga “utiliza software da Microsoft, cujas licenças de utilizador são periodicamente renovadas nos termos legais e mediante procedimento concursal a que acorrem os diversos agentes da marca”.

Também Paulo Cunha, autarca de Famalicão, reagiu às notícias vindas a público, dizendo não haver qualquer problema ético. “Foi uma viagem realizada na perspetiva de obtenção de conhecimento para eventuais mais valias para a gestão autárquica”, disse, explicando ainda que o objetivo passou por assistir à “apresentação do Executive Briefing Center da Microsoft em Seattle enquanto case study de um modelo de gestão e com o propósito específico de conhecer uma ferramenta de encontro às necessidades e interesses da administração autárquica”.

Segundo o jornal “Observador”, a autarquia de Braga fez, através de ajuste direto, contratos no valor de 300 mil euros, via duas empresas externas à Microsoft. Já a Câmara de Famalicão contratou 210 mil euros em licenças da Microsoft através das empresas ITEN Solutions e El Corte Inglés Informática.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade