©  Lusa
© Lusa
País

Cerca de 82% das apreensões de contrafação são feitas em Viana e Braga – ASAE

Cerca de 82% das apreensões de contrafação efetuadas pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) a nível nacional resultam de operações nos distritos de Viana do Castelo e Braga, revelou hoje à Lusa o inspetor-geral daquela força policial.

“Cerca de 82% das apreensões são de facto, na lógica dos centros de produção são feitas nos distritos de Viana do Castelo e Braga. (…) A venda ocorre nas grandes feiras, à volta das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, onde existem grandes centros de distribuição”, afirmou Pedro Portugal Gaspar.

O inspetor-geral da ASAE falava à margem da cerimónia de doação, hoje em Viana do Castelo, de cerca de 230 artigos de vestuário e calçado ao Gabinete de Atendimento à Família (GAF) material no valor comercial de seis mil euros.

Pedro Portugal Gaspar adiantou que “no último ano” a ASAE tem “centrado” a sua atuação nos “grandes centros de produção” espalhados pelo país, sobretudo no Norte do país, “uma zona com grande tecido económico”.

Ainda em fevereiro passado a ASAE apreendeu numa unidade fabril de Vila Nova de Famalicão, distrito de Braga, cerca de 3.200 peças de vestuário e calçado, num valor superior a 94 mil euros, durante uma ação de combate à contração.

Na altura, em comunicado a ASAE acrescentou que a operação resultou ainda na detenção de um indivíduo e na instauração do respetivo processo-crime.

A inspeção foi feita no âmbito de uma investigação relativa à produção e comercialização de têxtil e de calçado contrafeitos.

“Esta ação insere-se num esforço global de combate à economia paralela que a ASAE tem vindo a exercer, numa abordagem dirigida à cadeia de produção, distribuição e venda de material contrafeito”, rematava o comunicado divulgado na ocasião.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade