2015 é ano de bons melões Casca de Carvalho.
2015 é ano de bons melões Casca de Carvalho.
Vila Verde

Melão Casca de Carvalho a caminho de “produto certificado”

No âmbito do VI Arraial do Melão Casaca de Carvalho (MCC), o produto “rei” do certame, ou seja, o MCC será alvo de certificação no próximo ano, um processo que vai atestar que o melhor melão do mundo é originário da freguesia de Soutelo.

O Melão Casca de carvalho tem-se assumido ao longo dos anos como um dos grandes ícones da freguesia de Soutelo e de todo o município de Vila Verde, atraindo todos os anos centenas de visitantes, de toda região minhota, que se deslocam ao concelho com o propósito de adquirir este manjar dos deuses.

Nos últimos tempos, a Junta de Freguesia de Soutelo tem realizado um esforço considerável no sentido de impulsionar a produção e comercialização do produto. Foi assim que nasceu o Arraial do Melão Casca de Carvalho, uma iniciativa que vai já na sexta edição e que este ano se desenrola de 7 a 9 de Agosto.

Melão Casca de Carvalho originário de Soutelo
O presidente da Junta de Freguesia de Soutelo, Filipe Silva, frisou que o Melão Casca de Carvalho, produto gourmet, se encontra entre os dez frutos mais caros do mundo, valor facilmente justificável pelo facto de o seu processo de produção ser praticamente uma arte, muito trabalhos e minucioso, que requer horas de atenção diária por parte do agricultor e um conhecimento muito específico, fundamental para que o esforço não seja vão e que as colheitas sejam um sucesso. O autarca soutelense prefere não avançar, para já com muitos de talhes, mas revelou que a Junta tem em sua posse um documento (datado da altura em que o Rei D. Carlos era o soberano do país) que comprova que este tipo de melão é originário de Soutelo e que dará azo a um processo de certificação, com o intuito de garantir a qualidade e genuinidade do produto para o consumidor.

O melhor melão do mundo
Filipe Silva classifica-o como o melhor melão do mundo, estatuto que pretende ver reconhecido oficialmente a breve prazo. O presidente da Junta de Soutelo vai mais longe e deixa o apelo ao tecido empresarial para que se conjugue o conhecimento endógeno com conhecimento de base científica, deforma a potenciar o produto e criar alguns derivados (sumo, licor, compotas…), que são vistas pelo autarca como excelentes oportunidades de negócio. O actual executivo da junta tem encetado esforços com os produtores locais, no sentido de se incentivar as gerações mais jovens entrarem na produção e aprenderem os truques da plantação deste fruto, de modo a garantir a continuidade de uma iguaria que faz as delícias de soutelenses e visitantes.

Um bom arraial à moda do Minho
No entanto, nem só de Melão vive o Arraial. De 7 a 9 de Agosto, o recinto localizado na Zona do Ténis torna-se num espaço de excelência para o convívio e a diversão, um palco privilegiado encontro de velhos amigos ou para os visitantes conhecerem melhor os costumes minhotos, com as iguarias típicas da nossa gastronomia, muita música popular, folclore e iniciativas diversas (ver cartaz em anexo) que contribuem para o enriquecimento da festa. Convém ainda frisar que o sucesso da festa e o seu crescimento contínuo só são possíveis graças ao empenho de perto de largas dezenas de soutelenses que, de forma voluntária, abdicam de um pouco do seu tem para trabalhar em prol do bem-comum contribuindo de forma decisiva para o progresso da terra que os viu nascer.
Este ano uma das grandes novidades foi o aparecimento de iniciativas associadas à festa com o intuito de enriquecer o cartaz, como o torneio de petanca ou o passeio de motorizadas clássicas. Realizou-se também uma aposta de melhoramento da logística. O aumento da afluência popular nas últimas edições levou ao aumento do tempo de espera das pessoas para as refeições. Este problema será resolvido este ano com o aumento da capacidade instalada para receber pessoas e do staff afecto à organização. Convidamos todos os interessados a participar num bom arraial à moda do Minho.

2015 é ano de boas colheitas
O ano de 2015 é dos melhores dos últimos vinte anos na colheita do Melão Casca de Carvalho. A garantia é dada pelos principais produtores da freguesia, homens que dominam com mestria a difícil arte de cultivar um produto tão complexo. José Gonçalves nasceu praticamente no meloal. Quando era criança acompanhava o pai nas lides das plantações e há já mais de quarenta anos que arrancou com o cultivo próprio. Vê com algumas reticências o futuro desta actividade, mas ao lado o filho e o neto garantem que não vão deixar cair no desuso o ofício e o saber que herdaram do progenitor. Por sua vez, João Silva também se mostrou bastante agradado com a colheita deste ano de um produto que encontra nas zonas ribeirinhas de Soutelo o local propício para o cultivo. A grande amplitude térmica entre a noite e o dia nos terrenos à beira rio é um dos segredos, mas os outros os produtores não podem revelar ao público geral, já que ‘o segredo é a alma do negócio’.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade