Captura de ecrã 2016-04-03, às 15.28.40
Destaque Região Vila Verde

IEMinho já incubou mais de um centena de empresas em oito anos

Cento e três empresas é o número de incubadas que o Instituto Empresarial do Minho (IEMinho), instalado em Soutelo, Vila Verde, acolheu no seu Centro de Incubação, nos oito anos de existência. Só no último ano, contabilizam-se 20 startups que arrancaram a sua atividade e mais 18 que encerraram o seu período de incubação.

Com 47 empresas incubadas no momento, num total de 125 postos de trabalho, o IEMinho continua a afirmar-se como a incubadora de excelência da região Minho. Neste Centro, as empresas podem optar pela modalidade de incubação física ou incubação virtual.

No caso da incubação física, os incubados instalam-se num edifício com uma área de 2.650m2, onde dispõem de favos de incubação e espaços de co-working equipados com mobiliário e infraestruturas técnicas.

Localizado em Vila Verde, a cerca de três quilómetros de Braga, o Centro de Incubação de Empresas do IEMinho apoia os empreendedores no desenvolvimento das suas ideias de negócio, disponibilizando meios físicos e materiais, assim como serviços de apoio à gestão.

A maioria das empresas incubadas no IEMinho são das áreas da Tecnologia de Informação e Comunicação (TIC), Engenharia, Gestão Ambiental e Gestão da Qualidade.

No três meses deste ano, já entraram cinco novas empresas: Arquilar, César Veiga, ETZ, STEG e Paula Pinheiro.

Após o processo de incubação, que se calcula ser de três anos, pressupõe-se que as
empresas estão aptas para o mercado de trabalho. Ao longo destes oito anos, o IEMinho lançou para o mercado 58 empresas, que atingiram a sua fase de expansão e prosseguiram a sua atividade fora do ambiente da incubadora.

Recorde-se que o Centro de incubação de Empresas do IEMinho nasceu em março de
2008, numa iniciativa da Câmara Municipal de Vila Verde, Associação Industrial do Minho, Universidade do Minho, Associação Comercial de Braga, Expoente – Serviços de Economia e Gestão SA e Idite-Minho, tendo como missão estimular e apoiar o arranque, o desenvolvimento e a fixação de atividades económicas de valor acrescentado, gerando dessa forma valor para a região e para o país.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade

Publicidade