ricardo rio Braga para Todos
Braga Destaque Região

Braga. Ricardo Rio promete ambulância para socorrer cães acidentados

O movimento “Braga para Todos” reuniu com o candidato Ricardo Rio da coligação Juntos por Braga, uma reunião onde o atual presidente da Câmara garante já ter feito a diferença ao terminar com o abate no CRO e com o cumprimento das obras como prevê a lei e assume o compromisso ao movimento cívico de implementar o programa CED em Braga, estudar os abrigos para os gatos e Braga ter uma ambulância para socorrer animais 24h por dia 7 dias por semana.

Segundo o movimento, oatual presidente da câmara de Braga promete cumprir a lei de forma exímia e assumir as responsabilidades inerentes aos animais de rua, com a garantia da implementação do CED em Braga (captura-esterilização-devolução), como a lei prevê para as colónias de gatos. Compromete-se igualmente a implementar campanhas de esterilização para cães provenientes de famílias carenciadas, com total suporte de custos pela Câmara, em consonância com o conteúdo da petição do Braga para Todos. O candidato afirma também ter adquirido uma ambulância pequena para socorro a animais acidentados, estando a decorrer a formação de elementos do corpo dos Bombeiros Sapadores de Braga e compromete-se a ter o CRO apto para receber cães acidentados e, caso não seja possível tratá-los nas instalações, encaminhá-los para com clínicas privadas com as quais estabeleceram protocolos, como o caso da clínica Veterinária de Real. Compromisso com prazos: apenas a ambulância apta em Novembro algo que não satisfaz o movimento que vê uma adiamento constante do programa CED a par com o aumento diário dos gatos na cidade.

O Braga para Todos acredita que a reunião foi útil para terminar um mês intenso de trabalho de ativismo em prol da causa animal:” Não foi fácil encontrar disponibilidade na agenda política do Dr. Ricardo Rio, mas finalmente conseguimos ouvir as suas palavras a garantir que Braga terá CED para os gatos, que já tem um projeto para famílias carenciadas terem acesso a cuidados médico-veterinários, sendo que este ponto levanta suspeitas pois estando na fase dos protocolos a CDU com um vereador na câmara deveria ter conhecimento aquando da nossa reunião e finalmente a garantia de em Novembro Braga ter um mecanismo de urgência ( carro de transporte equipado) para animais acidentados com o serviço garantido pelos Bombeiros Sapadores de Braga já para Novembro e despesas médico veterinárias a cargo da câmara-

Além do atual presidente da Câmara, marcou presença na reunião o responsável da campanha da coligação Juntos por Braga e atual administrador da AGERE, Rui Morais, que, contrariamente a Ricardo Rio, apresenta incoerências no discurso, segundo o movimento, que acusa mesmo Rui Morais de insegurança. O movimento cívico vai além e afirma que sobre os animais do CRO há várias afirmações contraditórias – “O atendimento telefónico da AGERE diz que os animais já saem esterilizados, mas não sabem responder se há o pagamento de alguma taxa e remete os cidadãos para obterem mais informações presencialmente, revelando falta de transparência. O Dr. Rui Morais diz que há alguns animais esterilizados no CRO, no entanto, não são entregues para adoção esterilizados como prevê a lei ,que afirma já cumprir. Por outro lado, verifica-se uma total ausência de informação aos bracarenses, havendo casos recentes de adotantes que garantem que ninguém mencionou a questão da esterilização.”

O veiculo de emergência é outra situação aplaudida pelo Braga para Todos, mas com falhas na comunicação, mostrando falta de consideração pelos bracarenses: “Se a coligação sabe que há uma petição que pede esta medida para salvar animais acidentados não será importante informar as pessoas que em Novembro Braga terá este projeto e também informar o resto da coligação? Quando reunimos com o vereador Altino Bessa esta medida não existia ou não era do seu conhecimento, levando os mais céticos a ver esta medida em cima do joelho como mais uma promessa para ficar no papel, mas que evidentemente todos devemos cobrar”.

O programa CED, o principal pedido da petição pública foi outro motivo de exaltação por parte do responsável de campanha da coligação do Juntos por Braga, quando questionado se Braga iria implementar o programa legislado, Rui Morais, segundo o movimento cívico – ” serviu-se de argumentum ad hominem para fugir à questão, dizendo mesmo que a pessoa que o questionou, uma das constituintes do movimento, não tinha capacidade de interpretação; como cidadãos e cidadãs repudiamos completamente esta falta de respeito, somente desculpável pela atitude tranquila de Ricardo Rio, que procurou sempre, educadamente, ser mais esclarecedor nas respostas dadas. Assim, reiterada a questão, foi-nos dito pelo atual presidente da Câmara que estão a estudar o mecanismo que permitirá por em prática o CED na cidade de Braga, mas que a principal dificuldade da Câmara é a alocar os necessários meios humanos para o fazer, dada a realidade do problema, ser a Câmara a enfrentar sozinha a questão é, do ponto de vista do atual presidente, elevar demasiado a fasquia, sendo crucial o apoio das associações.”

O movimento Braga para Todos afirma dar o beneficio da dúvida ao atual presidente da Câmara na questão do CED para gatos errantes, que promete implementar, contudo, notam grande desconhecimento da logística que deve ser seguida, pois a captura de um gato assilvestrado faz-se seguindo um conjunto de boas práticas e implica que se formem os recursos humanos suficientes para o poderem fazer adequadamente, não podem ser executada apenas voluntários nem pode cair neles a responsabilidade que é integralmente da Câmara.

Ricardo Rio afirma que fará um levantamento dos animais de rua de cada junta de freguesia e depois disponibilizará uma verba, sem garantir o valor pedido na petição que são 20 mil euros / ano durante 4 anos. O movimento acredita que com boa vontade o CED pode iniciar-se já, porque há centenas de colónias e estas preocupam os presidentes das duas maiores juntas da cidade com quem já reuniram, S.Vicente e S.Victor – “Até ao momento reunimos com as duas maiores juntas de freguesias de Braga e os atuais presidentes têm consciência das colónias, aliás nas proximidades dos jardins da junta de S.Vicente habita uma, portanto as juntas querem resolver esta sobrepopulação, mas precisam da verba da Câmara, e após as eleições será este o nosso trabalho e o de todos que se juntem a nós até conseguirmos que exista um programa no terreno, as promessas sejam atos públicos e em prática, caso não aconteça estaremos cá para reivindicar os mesmos”.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade