DSC_0116
Vila Verde

Autárquicas. Vilela quer valorizar património histórico, religioso e natural

“Vila Verde é, seguramente, uma terra de tradições e de património histórico e etnográfico com potencial turístico enorme”, destaca o candidato António Vilela, referindo que “o potencial turístico das paisagens, locais e património religioso do Vale do Homem, alargado a outras ofertas do concelho e com a enorme mais-valia de ter o Gerês mesmo à porta deste vale, têm que ser ainda mais valorizados”.

O candidato aponta “projetos que ajudarão a consolidar estes destinos, a gerar oportunidades e riqueza e, por inerência, a fixar a sua população”.

“A construção da Ecovia do Cávado-Homem, uma ligação entre o litoral e o interior do Vale do Homem, pelos rios Cávado e Homem, entre Esposende-Vila Verde-Braga-Amares-Terras de Bouro-Gerês-Espanha. Daremos projecção à zona norte, que tem vindo a apostar na componente turística cada vez mais. A biodiversidade existente por terras minhotas, mais concretamente o Gerês, é também um factor de enorme importância para o desenvolvimento da região, pois possui todo um potencial localizado, capaz de satisfazer as exigências e experiências que o turismo comporta”, destaca o candidato.

Vilela assinala ainda a importância de valorizar e projetar “ainda mais o potencial do património histórico e religioso, como exemplo o lançamento da Rotas dos Patrimónios Natural e dos Miradouros”.

“As requalificações executadas em S. Frutuoso (Sande), Sra da Conceição (Oriz Sta Marinha), Santa Ana (Passô) e Mixões da Serra (Valdreu/Aboim), a juntar ao Santuário do Alívio (Soutelo), S. Miguel-o-Anjo (Prado S. Miguel), Bom-Despacho (Cervães), entre outras, vieram dar qualidade aos espaços e torná-los em referências para quem visita o Concelho e a própria Região”, diz o candidato.

“O Município quer avançar com a criação da Rota dos Miradouros, espaços de observação da paisagem e desfrute do ambiente e património natural e histórico edificado em zonas altas do concelho”, destaca.

“A aposta no turismo de natureza, «que coloca já Vila Verde no 6º lugar nacional dos concelhos emergentes nesta área”, afirma Vilela.

“Depois das intervenções na Ponte Nova (Loureira), Malheira (Sabariz), rio Homem (Oriz Sta Marinha) e Faial (Vila de Prado), que trouxeram um importante incremento à qualidade dos espaços, estão em programa a requalificação das zonas fluviais e de lazer do Gaião (Cabanelas), Porto Carrero (Soutelo) e interiores do rio Homem (Oriz) e Neiva (Azões-Goães)”, revela.

“Em muitos casos, basta apenas ajustar os espaços naturalizados, com algumas infra-estruturas de apoio”, assinala.

O candidato espera também “obter bandeira azul da Praia Fluvial do Faial, em 2018, aquando da realização do campeonato do mundo de canoagem. De acordo com a APA (Agência Portuguesa do Ambiente) é uma das praias fluviais mais frequentadas do país”.

Todas estas vertentes, que obedecem a um plano estruturado de turismo que o município tem vindo a desenvolver nos últimos anos, entroncam no apoio ao desenvolvimento de projectos de alojamento turístico, um bom meio de entrada de capital e valorização da região. Bem como a organização de eventos que trazem forasteiros e projectam o nome do concelho para o exterior, como a Rota das Colheitas, Namorar Portugal, Festa das Colheitas e as próprias Festas Concelhias”, refere Vilela.

!A gastronomia vila-verdense, cujo cardápio preenche os requisitos dos mais exigentes comensais, é outro factor de atracção e valorização do território. Traz visitantes e carrega consigo uma importante mais-valia económica, para além de ser complemento indispensável ao desenvolvimento da componente turística!, refere António Vilela.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade