Recolha de Saneamento
Destaque Vila Verde

Ambiente. Vila Verde vai ter serviço público para recolher saneamento

O Município de Vila Verde vai passar a contar com um serviço municipal para recolha de saneamento, após estudo por parte da Câmara em termos orçamentais. A medida é avançada pelos vereadores do Partido Socialista (PS) de Vila Verde.

A vereação “rosa” tinha apresentado durante a passada semana a proposta de criação deste serviço, que foi aprovado esta manhã, com os votos do PSD por unanimidade, em reunião de executivo municipal, em Vila Verde. Os sociais-democratas declararam, no entanto, que é necessário um estudo para a viabilidade financeira, uma vez que não está incluído no atual orçamento, e que as obras que decorrem na ampliação da rede de saneamento podem justificar a suspensão deste serviço.

Medida foi avançada pelo PS

Através dessa proposta, os socialistas querem elaborar, em conjunto, um regulamento “onde esteja prevista a forma e as condições de utilização, o preço, e as disposições relativas ao controlo das descargas das águas residuais recolhidas” pelo novo serviço agora aprovado em ata.

Na índole da criação deste serviço, os vereadores José Morais, Luís Castro e Cláudia Pinto apontam “a inexistência de saneamento básico”, dizendo que o mesmo “constitui fator de depreciação da qualidade de vida dos munícipes que têm acréscimo de despesa financeira (…) ao pagar a privados o serviço de recolha de águas residuais, posteriormente descarregados nos nossos rios ou em terrenos agrícolas”.

“Os vila-verdenses que não dispõem do acesso à rede de saneamento básico têm direito a igual tratamento que é dado àqueles que já usufruem daquela rede”,  referem ainda os vereadores nessa proposta, apelidando de “residual” a cobertura da rede sanitária em Vila Verde.

“No concelho de Vila Verde é ainda residual a cobertura da rede de saneamento, verificando-se que cerca de 75% do território concelhio ainda não usufrui daquela rede, com todas as consequências conhecidas”, referem, comparando o novo serviço com outros municípios.

“Considerando que a atividade de recolha e descarga de águas residuais deve ser controlada e monitorizada pela Câmara Municipal, solução adotada por outros municípios onde as preocupações ambientais ocupam um lugar prioritário, devendo as descargas ser efetuadas em locais próprios, como sejam as estações de tratamento de águas residuais”, apontam.

Câmara aprovou 2 milhões de investimento em saneamento

Na mesma reunião de executivo, foram aprovadas duas novas empreitadas de saneamento, em investimento que ascende a cerca de 2 milhões de euros, anuncia o executivo PSD.

Segundo o executivo liderado por António Vilela, este é um “investimento no alargamento da rede de saneamento básico, que permitirá nos próximos dois anos atingir metas próximas dos 75% de cobertura das habitações vila-verdenses”.

Segundo o Município, são “dois investimentos que, na totalidade, ascendem a muito perto de 2 milhões de euros e que vão dar um forte impulso no sentido da universalização deste serviço básico”.

Está nos planos de António Vilela, edil, como várias vezes referido durante os últimos anos, atingir os 75% de cobertura de saneamento básico no concelho.

António Vilela sublinha que “a Câmara Municipal vai prosseguir com a execução de um elevado conjunto de projetos que vão, nos próximos dois anos, fazer chegar o saneamento básico a um grande número de residências do concelho, alavancando o bem-estar dos vila-verdenses e concorrendo sobremaneira para a melhoria da qualidade ambiental”.

Na opinião do mesmo edil, “a maioria social-democrata do executivo municipal prossegue na senda da concretização de um plano integrado de intervenções que vão ajudar Vila Verde a dar um grande salto qualitativo em termos de desenvolvimento sustentável.”

Foi também aprovada a reabilitação da antiga Adega

Na mesma reunião foram ainda aprovadas minutas de contrato de empreitada de obras públicas no valor global superior a 4 milhões de euros, referentes a mais três obras de saneamento e à reabilitação do antigo edifício da Adega Cooperativa de Vila Verde e área envolvente

Estas obras estão inscritas num plano global de investimentos que, em 2017 e 2018, ascenderá a 6 milhões de euros, informa a autarquia.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade