BVB3
Destaque Região

Rio Cávado. Bombeiros e autarquia combatem “praga de jacintos”

As corporações de Bombeiros do concelho de Barcelos participam numa operação de limpeza no rio Cávado, durante o último sábado, para eliminar a “praga” de jacintos que tem assolado aquele rio, principalmente na zona que atravessa a freguesia de Manhente.

A medida foi levada a cabo pela Câmara Municipal de Barcelos com colaboração das companhias de Bombeiros, e o objetivo passa por remover a “quantidade excessiva de jacintos”, que terá voltado ao rio devido à redução do caudal do Cávado.

Segundo a autarquia, esta problemática arrasta-se desde 2003, e o desenvolvimento da espécie tem a ver não apenas com as caraterísticas da sua reprodução, como, também, com a redução do caudal do rio que se tem agravado nos últimos meses.

“A remoção desta espécie infestante do Rio Cávado exige o recurso a meios técnicos consideráveis, disponibilizados pelas corporações de bombeiros de Barcelos e de Barcelinhos, no âmbito de um protocolo estabelecido com o Município, e tem em vista restabelecimento das condições naturais deste recurso hídrico e a sua valorização”, avança a autarquia em comunicado, explicando que “foi constituída uma equipa de intervenção constituída por bombeiros e técnicos da autarquia (…) para identificação no rio Cávado dos locais onde existam focos de poluição”.

12 mil euros para limpar praga

O protocolo, válido até 31 de março de 2018, prevê que o Município atribua uma comparticipação financeira às duas corporações de bombeiros, no valor de seis mil euros a cada uma, disponibilize combustível para os equipamentos afetos às operações de limpeza, bem como outros recursos materiais e humanos necessários às ações de identificação e remoção dos jacintos.

Os bombeiros têm como tarefas, identificar, registar e classificar os vários focos de poluição existentes no rio Cávado; promover as ações necessárias à identificação, remoção e/ou neutralização dos jacintos-de-água, com vista ao reequilibro do rio e suas margens; realizar as ações de vigilância necessárias durante a vigência do acordo de colaboração; afetar os recursos humanos e equipamentos necessários à execução do objeto do acordo de colaboração, bem como à sua fiscalização; disponibilizar recursos técnicos e materiais, sempre que necessário, em ações de educação ambiental, ou em ações que visem a sustentabilidade dos recursos hídricos.

A intervenção teve início no passado dia 16 de novembro e incidirá em todo o percurso do rio, a jusante da barragem da Penide

“O envolvimento dos bombeiros não pôde ser efetivado antes, dadas as condições excecionais do período crítico de incêndios que, como se sabe, foi prolongado até 23 de novembro”, explica a autarquia.

No âmbito desta ação, o Presidente da Câmara Municipal de Barcelos, Miguel Costa Gomes, fez o percurso de barco, no sábado, dia 17 de novembro, de forma a inteirar-se dos trabalhos que estão a ser desenvolvidos pelas equipas constituídas pelos bombeiros e por técnicos da autarquia.

Bloco de Esquerda questionou Governo sobre praga de jacintos

O deputado do Bloco de Esquerda (BE) eleito por Braga, Pedro Soares, questionou o Governo sobre a “praga” de jacintos no Cávado.

Segundo o deputado,  a seca “só veio pôr mais a descoberto a má qualidade da água do rio Cávado. Segundo o partido, a praga dos jacintos causa a morte a muitos organismos, como peixes, por não haver oxigenação suficiente na água.

Pedro Soares indagou o Governo se há alguma medida urgente de controlo da praga que assola o Cávado e se há alguma medida em vista para a despoluição das águas do rio que atravessa o distrito de Braga.

Print Friendly

Comentários

Siga-nos!

RSS
Follow by Email
Facebook
YouTube

Última edição

Já nas bancas!

Publicidade